terça-feira, 3 de julho de 2012




O Baile da Decisão

Como vou decidir?
Que indecisão!
Pego sorvete e fondue,
Ou pão de queijo com milkshake de limão?

Muita calda de morango,
Colorindo uma branca montanha gelada,
Um balé de frutas picadas,
Em uma pista quente de chocolate com uma bela fachada.

Uma bandeira macia e fofinha,
Queijo quente misturado com farinha,
Chocolate, leite e limão,
Juntos em uma metamorfose no saguão.



Eu sou bem doida, escrevi esse enquanto decidia se ia comprar sorvete e fondue ou milkshake com pão de queijo. Eu queria milkshake e sorvete, mas faltava 30 centavos T_T

sábado, 30 de junho de 2012




Doce Medrosa
Por mais pessoas que pudesse haver,
10 à 10 mil, tanto faz, só você queria conhecer,
Acompanhei seus passos com minha apreensão,
Minha vontade acelerou a respiração.

Observei sua meiga maneira de sorrir,
Parece que algo pulsa forte em meu peito,
Comecei a sonhar sem dormir?
Queria continuar nesse sonho perfeito.

O medo prende minhas pernas e rouba minha voz,
Acelera meu coração e deixa meu corpo cheio de nós,
Preciso falar com você agora,
O fim desse baile de máscaras e fantasias não demora.

Queria eu poder dançar com essa fantasia para a realidade,
Continuar vendo seu sorriso, sentindo seu abraço sob as luzes da cidade,
Meu coração já se rasgou e sangrou por sonhar tão cedo,
Será que você vai ser o gentil cavalheiro que afastara esse medo?


 Para uma pessoa MUITO especial x3

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

De Singela à Besta
A melancolia resolveu comigo viver,
Começa as questões, ser ou não ser?
Brincadeiras em se afundar,
Quão fundo neste poço ei de chegar?

O sorrir é algo automático,
Talvez uma defesa,
De alguém que mal vê uma luz acesa,
O complexo do reflexo é problemático.

A injustiça de monstro me faz,
Quantas lágrimas ao meu ser traz,
Condenada a ser errada,
Que minha loucura seja logo anunciada!

O julgamento é cruelmente impulsivo,
Isso requer que ser perfeita é decisivo?
Pois bem, aniquilem meu mundo e minha imaginação,
Deem a mim uma dose artificial e retirem meu coração.





Weee, hora de postar poemas em massa. Tenho muitos guardados no PC ^-^


Crianças Ignorantes 

Estou em um ninho de serpentes, 
Resistindo e persistindo sobre esses venenos, 
Existindo cada vez menos, 
Colidindo com vários conscientes. 


O sutil calor em você presente, 
Repousando em seu corpo desacordado, 
Te ver assim é tão deprimente, 
Quero ver de novo seu sorridente rosto corado. 


Risos e palavras de vozes macabras ecoam, 
Ferem e cortam com ironia, 
Que mal eles soam, 
São apenas crianças sem sentimentos ou simpatia. 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Em apenas um minuto tudo pode mudar... ruir ou evoluir?

Eu já tinha dado meu blog como morto. Eu pensava que não iria mais precisar dele para desabafar minhas desventuras. Ah, como estava enganada. É tão engraçado como o mundo funciona, nessa mesma época um ano atrás, eu estava mal, chorando e triste... Nunca me passou pela cabeça que depois de um ano, eu chegaria na estaca zero. 2011 foi um ano incrível para mim, passei por coisas ótimas, achei que não iria mais sofrer, me considerava segura e protegida. Porém, alguns dias atrás, meu namorado acabou comigo ^^"
Pronto, estou em uma situação horrível, tentando me concentrar nas malditas provas de fim de ano...
Tenho vários amigos me apoiando e tentando me levantar, ou fazer a história voltar a ser o que era. Mas eu já estou aceitando ser esse o fim do capitulo. Hora de começar outra saga?
Isso é um resumo do resumo do que me fez voltar ao blog,





quinta-feira, 15 de setembro de 2011


Coração amaldiçoado

Aqui estou sozinha,
Minhas asas mal me suportando,
Jamais serei a rainha,
Meus olhos em lágrimas transbordando...

Apertando contra o peito essa fraca luz,
Para meu interior de trevas me conduz,
As asas sangue se tornam,
Para o precipício os sonhos retornam.

Nem sequer tenho reflexo,
E em seu olhar quis me encontrar,
Pesadelo complexo...
Meu mutilado coração começa a sangrar.

Envenenada nessa maldição,
Condenada á essa solidão,
Machucada, esquecida,
Pelo sentimento que move minha vida.

Esse é BEEEEM antigo. Criei em um momento de crise (novidade), mas em breve eu posto os fofinhos. Sim, por incrivel que pareça, eu consegui escrever algo fofo D: 

Boneca de Porcelana
Sua vida é uma ilusão,
Sussurrando uma canção.
Onde ela é a princesa,
Sem haver soluços de tristeza.

Deixe ela, a boneca, fazer de conta,
Brincar nesse surreal castelo,
Um reino que sua cabecinha monta,
Da qual seu coração não é flagelo.

Face fria de porcelana,
Olhos de vidro opaco,
Um tom melancólico e fraco,
Se definhando semana a semana.


Bom, faz tempo que não atualizo o blog ( coloca tempo nisso O_O). Trago então, para recomeçar, este poema que fiz  uns tempos atrás.