domingo, 19 de dezembro de 2010


Melancolia dos ponteiros

Tempo, Ponteiros em sincronia,
Horas passam por meu olhar numa utopia,
Uma palavra para a valsa parar,
Não suporto mais ver esse relógio dançar.

Horas em segundos se tornam,
As estrelas choram?
Não importa, tonta estou,
Em um suspiro de melancolia percebo que o tempo parou.

últimos ecos de meu coração,
Choro por medo,
Será cedo?
Mas congelou-se a canção,

Posso os ponteiros soprar?
Antes que a angustia me consuma,
Nego-me a perder nem que seja uma pluma.
Relógio, suplique pelo tempo, volte a funcionar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário