quinta-feira, 15 de setembro de 2011


Boneca de Porcelana
Sua vida é uma ilusão,
Sussurrando uma canção.
Onde ela é a princesa,
Sem haver soluços de tristeza.

Deixe ela, a boneca, fazer de conta,
Brincar nesse surreal castelo,
Um reino que sua cabecinha monta,
Da qual seu coração não é flagelo.

Face fria de porcelana,
Olhos de vidro opaco,
Um tom melancólico e fraco,
Se definhando semana a semana.


Bom, faz tempo que não atualizo o blog ( coloca tempo nisso O_O). Trago então, para recomeçar, este poema que fiz  uns tempos atrás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário